Culto ao Lhu – Baía das Almas!

RPGWorld orgulhosamente apresenta Baía das Almas, cenário de jogos para Culto ao Lhu desenvolvido pensando em mestres e jogadores que gostariam de uma experiência rápida e pré pronta e para aqueles que desejam uma campanha com múltiplas experiências e opções. Segue abaixo o texto completo com alguns comentários, esperem mais detalhes e a versão Culto ao Lhu – Cultistas Curiosos em breve!

Culto ao Lhu – Baía da Almas

Este cenário foi criado com diversos clichês dos jogos de horror e mais umas pitadas de humor para descontrair. Sintam-se livres para modificar o que quiserem e criar sua própria Baía das Almas!  Não especificamos nomes ou locais para que tenham a liberdade de inventar personagens e locais importantes para o jogo, mas caso tenham dificuldades, sorteiem ou usem as Tabelas de Aleatoriedade!

Impressões da Cidade

Uma cidade de médio porte, com pessoas receptivas mas desconfiadas Baía das Almas é uma cidadezinha praiana pacata, que sobrevive por causa de seu porto, seu turismo e por ser um polo em pesquisas de tratamentos psiquiátricos. Mas o que lhe espera na cidade? Escolha entre as 10 impressões que a cidade causa nos personagens dos jogadores, podendo sortear ou selecionar as que mais lhe agradam, sendo todas combináveis entre si.

– Uma cidade costeira típica, com cheiro de maresia e muitos ventos, marcada por quatro estações bem definidas: frio, nebuloso, abafado e chuvoso. O Sol quase nunca aparece, sempre tímido e distante.

– Praias de areias escuras e falésias afiadas abrigam um porto bem equipado para receber mercadorias e visitantes de todas as partes do mundo. No topo das falésias, um observatório de estrelas, que nunca funciona.

– Uma estação de trem que a conecta com sua única vizinha – Arcanópolis e entre elas quilômetros de fazendas e matagal, estradas de terra batida ou pedras batidas conectam as cidades, mas alguém que não as conhece pode ser perder facilmente.

– Igrejas, mercados, hospitais, escolas, faculdades e outras facilidades existem na cidade, mas normalmente um ou dois e com nomes e costumes estranhos. O único fliperama da cidade não recebe uma atualização faz vinte anos.

– A cidade é uma referência de pesquisa de terapias para doenças mentais, novos tratamentos, remédios e até novas práticas alternativas, são desenvolvidas aqui, gerando uma alcunha de cidade dos loucos.

– O turismo da cidade envolve visitas às areias negras medicinais da praia, pescas nas falésias, festas de terror em manicômios abandonados, diversas lojinhas de bugigangas e o famoso passeio das Almas.

– Os visitantes da cidade sempre têm a sensação que os habitantes da Baía escondem alguma coisa quando conversam, ou que são intencionalmente alienadas, ou ainda que são sonsas.

– Muitas ilhas fazem parte da cidade. Algumas têm habitações luxuosas e restritas, outras são bases militares ou de pesquisas, mas nem todas são mapeadas.

– Mensalmente as pessoas importantes da cidade, como o prefeito, o delegado, o bispo, empresários e outros fazem uma reunião no teatro municipal onde apresentam projetos e resultados de investimentos, mas é muito difícil saber a data exata ou que projetos são esses.

– Algumas pessoas desaparecem as vezes, umas reaparecem outras não. Os Baialmenses não se importam muito com isso, todos tem um amigo ou conhecido que desapareceu em algum momento. “Sumiu foi? De novo?”

Cultistas

Sempre há um culto por trás de uma estranheza da Baía das Almas, sempre há um novo culto surgindo ou devorando um anterior. Alguns cultos sempre existiram, só se adaptaram ao novos tempos. Cultistas estão por toda parte e alguns nem sabem que são. Seguem 6 sugestões para possíveis cultos e cultistas que podem existir na cidade e sua área de influência.

– Culto da fertilidade – Algumas pessoas da cidade, e da cidade, vizinha fazem anualmente rituais para ter abundância e prosperidade, envolvendo sacrifícios animais, ou coisa pior.

– Culto à lua – Disfarçados de astrólogos, meteorologistas e ufólogos, estão comprando pontos chaves da cidade, que quando conectados criam um vetor propicio para o ritual de invocação da face oculta da lua.

– Culto dos pesadelos – Psicólogos (de verdade e os charlatões) da Baía das Almas sabem que nas profundezas da terra existe uma criatura que se alimenta dos pesadelos dos residentes da cidade e por isso induzem os piores tipos de sonhos em seus consultórios.

– Culto das profundezas – Os anciãos lembram da época que a cidade era pequena e pesqueira e ainda fazem oferendas para apaziguar o mestre dos mares, mas quando o último deles morrer, o acontecerá?

– Culto da manada – Líderes locais gostam de manter a cidade isolada do mundo, recebendo apenas o comércio necessário e alguns turistas, e quando alguém some, geralmente é pelo bem da cidade.

– Culto das crianças – A creche baialmense recebe crianças de todas as partes do mundo, que são moldadas para atender os interesses da Madre Superiora. Quando adultas obedecem comandos através de palavras chaves gravadas subliminarmente.

Mistérios

Muitas coisas estranhas acontecem nessa cidade, algumas passam despercebidas, outras acabam se tornando dignas de investigação. Temos 8 opções para escolherem qual ou quais mistérios vão ameaçar seus personagens, mas que outros mistérios ainda estão por ai?

– As pessoas que desaparecem e reaparecem, normalmente mudam de personalidade, normalmente se tornando cidadãos “exemplares”. Algumas abandonam trabalhos, famílias e amigos em prol de causas e crenças.

– A quantidade de chuvas de meteoros, cometas, eclipses, boreais e outros fenômenos meteorológicos normalmente raros, são comuns na cidade. Dizem que o observatório que está negligenciado só funciona quando eles ocorrem.

– Pichações estranhas estão localizadas em diversos bairros na cidade, em locais quase impossíveis de se alcançar. Ninguém nunca descobriu se existe um padrão ou quem são as pessoas picham.

– No manicômio abandonado nos limites da cidade, jovens fazem festas regadas a drogas e jogos de coragem, algumas vezes as pessoas têm experiências que as modificam no bom e no mal sentido.

– Não existe um motivo aparente para a cidade receber tantos cruzeiros e cargueiros, algumas pessoas desconfiam de contrabando, mas ninguém sabe do quê.

– O clima é sempre estranho, a tecnologia é temida e evitada pelos moradores da Baía, internet é muito ruim e nunca faz sol. Parece que a cidade é de alguma forma desconectada do mundo.

– Quem visita a creche e os serviços de proteção às crianças pode encontrar jovens com mentes perdidas, comportamentos violentos ou excêntricos, além de cantigas bizarras ou línguas perdidas.

– Durante as variadas feiras artesanais que ocorrem para entreter os turistas, algumas pessoas podem encontrar barracas com itens únicos, como animais desconhecidos, plantas e chás raros, peças antigas e misteriosas, mas é muito difícil localizar estas barracas novamente, já que as feiras não tem local ou data padronizados.

A entidade Lhu

A presença maligna da entidade suprema Lhu na Baía da Almas é muito forte e seu intento será realizado a partir deste ponto, mas o que será? Temos 8 opções de puro terror para suas aventuras:

– Dominar as mentes da cidade e criar um exército de escravos que irão preparar seu retorno para este mundo.

– Corromper as instituições e os poderosos da Baía para espalhar sua palavra através dos turistas e visitantes.

– Colocar ovos nos inconscientes dos baialmenses que irão eclodir e devorar suas mentes para alimentar seu mestre.

– Transformar os medos das pessoas em realidade, corromper este plano de existência adicionando mais um reino em suas conquistas.

– Despertar das profundezas e voltar para o frio e silencioso vazio do espaço, destruindo tudo em seu caminho.

– Transformar a humanidade em criaturas à sua semelhança, perverter o ser humano a seu bel prazer e para sua diversão.

– Reviver a antiga raça dos Lhumanos, usando as crianças da cidade que sofrem lavagem cerebral.

– Instituir o caos e despertar a selvageria entre as pessoas, para daí selecionar os melhores para seus sacerdotes.

Desafios e Rumores

Muitas coisas podem atrapalhar os Investigadores Insanos de seguirem seus intentos, algumas delas são até mesmo mortais. Escolha entre as 13 opções aquelas que você quer adicionar à sua aventura ou à sua campanha, mas cuidado, elas estão aqui para acabar com vocês:

Os observadores – Um grupo está sempre por perto e vigiando os personagens dos jogadores, mesmo que eles não percebam, como estudantes, religiosos, policiais ou até mesmo donas de casa. O que eles fazem com as informações, ninguém sabe.

A coisa na floresta – Sempre que é preciso sair da cidade por meios que não são o porto ou a ferrovia, alguma coisa impede os personagens: uma criatura que ronda a cidade, um xerife que parece sempre saber onde eles estão ou mesmo uma ilusão que os faz entrar em repetição.

Os loucos são eles – Todos na cidade tem certeza que os personagens dos jogadores estão na Baía das Almas para tratamento psiquiátrico e por isso mesmos são sempre menosprezados ou ignorados.

O clima muda – Sempre que os cultistas se movem pela cidade o clima muda drasticamente, chuvas torrenciais, névoas densas, vendavais, geadas e outras coisas sempre acompanham suas maquinações.

Os inimigos somos nós – As autoridades da cidade tem certeza que os cultistas na verdade são os personagens dos jogadores, seja isso fingimento ou realidade, vão perseguir e tentar deter os investigadores.

O labirinto – Fica embaixo do observatório atravessando galerias secretas onde os cultistas se reúnem. Termina em uma reentrância das falésias, um altar natural perto do mar, com fácil acesso a ilhas escondidas.

Arcanópolis – É uma cidade que já foi dominada por Lhu e usa a Baía para fazer suas experiências, isolando ela do mundo, exceto cultistas que chegam na cidade disfarçados de turistas.

Lua Rubra – No próximo eclipse acontecerá um ritual na ilha da madame Hécate, que irá acordar Lhu, mas ninguém sabe onde fica esta ilha e quem irá participar, os cultistas serão avisados pelos seus pesadelos.

Existem aliados – Os loucos e os preteridos da cidade podem ajudar, sabendo como negociar, sempre pode aparecer uma pista, mas não espere muito destas pobres criaturas e cuidado para não se apagarem a você.

Arquitetura estranha – Alguns prédios da cidade, assim como algumas ruas formam padrões exotéricos e místicos, pode ser de propósito ou acidental. Dizem que pessoas que fizeram rotas específicas pela cidade nunca mais foram vistas.

Festa Estranha com gente esquisita – Um ritual é realizado em um prédio abandonado na periferia na cidade disfarçado de festa, mas que na verdade, conecta esta realidade com a de Lhu por uma noite.

Pequenos inimigos – Os principais líderes cultistas estão em corpos de crianças e a cada sete anos eles trocam de corpos, quem desconfiaria daquela linda menina de cachos dourados e fala infantil.

A criatura – Existe um ser que anda pelos esgotos da cidade e suas cercanias, parece um ser humano normal, mas ninguém consegue o encarar, ou os que conseguem não são encontrados depois.

Sonho – Todos estão mortos, em coma ou são parte de um jogo. Vocês foram enganados, manipulados ou estão em coma. Precisam acordar, antes que o sonho acabe ou vire um pesadelo.

Sem números?

Não foram estabelecidos valores para Desafios, Ameaças ou Catástrofes propositalmente, a ideia é adaptar conforme a necessidade de cada grupo. Em uma experiência na Baía das Almas o delegado cultista pode ser uma pessoa comum, em outra uma criatura disfarçada e em outra um fantoche controlado pelo culto, cada situação pode gerar uma ficha diferente.

Ao determinar como vão usar este cenário, decidam se vai ser uma aventura apenas ou campanha, quais elementos vão usar ou se vão sortear e por fim façam as devidas anotações e fichas, livro dos mitos conforme as instruções do Culto ao Lhu – Investigadores Insanos.

Campanha

Este cenário foi pensando para atender demandas simples como uma aventura improvisada rapidamente até uma campanha com múltiplas aventuras e planos. Se for usar como campanha, quando um culto for desmascarado, coloque outro por trás que controla ou influencia os membros, adicionando um mistério como gancho entre eles. Conforme os mistérios forem resolvidos, o nível de ameaça deve aumentar, assim como a influência e poder dos cultistas.

Ao final de cada aventura, dê aos jogadores algo a se agarrar, influenciando seus Legados e presenteando eles com mais um Ponto Forte, na forma de um item, um conhecimento ou outro elemento. Deixe eles descansarem e recuperar Características, mas não os deixe muito confortáveis. No fim da Campanha, o destino não só da Baia das Almas, mas do mundo todo estará em risco.

Despedidas!

Esperamos que tenham gostado de nossa proposta e que joguem neste cenário que foi feito com muito carinho e muita consideração. Caso tenham sugestões ou dúvidas, entrem em contato conosco.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s