Frentes de Aventura

Quando se está jogando RPG, normalmente existe uma missão ou situação a ser resolvida que motiva todos os personagens a se aventurar e aos jogadores a interpretar, desde as mais nobres como salvar um reino, às mais sórdidas, como vingança. Algumas vezes essa aventura pode agrupar objetivos diferentes para cada jogador, mas todas elas envolvem alguns perigos e ameaças que podem acontecer se os personagens não agirem.

Em jogos PbtA normalmente é usado o conceito de frentes de aventura, uma reunião de ameaças existentes no cenário onde os jogadores estão e que precisam ser resolvidas ou encaradas. As ameaças podem ser pessoas, lugares, situações ou monstros, ou ainda qualquer coisa que tenha motivação, gere perigo e combine com a história e com o cenário que estiverem usando. Podem ser consideradas também como uma reunião de ideias, anotações e planos que inspiram o mestre durante a narração.

Os elementos podem variar de acordo com o sistema que use a AWE, mas geralmente as frentes de perigos de aventuras envolvem uma espécie de ficha para o narrador, com a descrição dos movimentos, personagens que fazem parte da ameaça e uma série de situações que vão ocorrendo conforme aquela ameaça avance na história, terminando com o que aquela ameaça vai adicionar no mundo de jogo que vai mudar o cenário, como fome, doenças, escravidão, medo, dominação, morte, etc.

A ideia é criar uma espécie de Agenda para o Mal que vai tendo seus objetivos cumpridos aos poucos se não forem impedidos pelos personagens, até que, o plano maligno dê certo e o Mal vença. Geralmente esse mal vai ser incorporado no cenário e precisará de mais esforço, mais recursos e mais sacrifícios dos personagens para ser reparado. Apenas lembrando, que uma frente em geral tem mais de um perigo que normalmente atuam em paralelo, deixando a vida dos personagens muito atarefada.

Uma campanha normalmente é realizada com uma sequência de frentes no tema da campanha, culminando em uma história épica, com sequências e cada frente gerando ganchos e continuações para mais seções. A campanha junta as frentes de aventura e seus perigos em uma só história, com problemas que surgem gradativamente e vão se tornando cada vez maiores, reciclando personagens e fechando pontas soltas da história.

O uso das frentes de aventura pode e deve ser levado para jogos que não são PbtA, afinal, é uma ferramenta de gerenciamento de histórias muito poderosa, sendo facilmente adaptável para qualquer sistema ou formato de jogo. Por fim, recomendamos não criar apego às frentes de aventura, pois o rpg deve ser jogado para ver o que acontece, e por isso, um npc importante na sua frente pode ser morto a qualquer momento, precisando adaptar o até mesmo abandonar aquela ideia e criar uma nova.

CRIAÇÃO!

Como temática, vamos utilizar Alien Versus Predador. Vamos criar uma frente de aventura com alguns perigos para ilustrar o conceito e usando como sistema basilar do Simple World como didática, mas não se prendam, esse conceito pode ser utilizado até mesmo em sistemas que não são PbtA.

Cenário: Ruínas antigas, abandonadas por um povo esquecido e em uma localização ignorada pelo resto do mundo. Este local está genérico para poder ser simples a introdução em qualquer outro mundo, medieval, moderno, futurista, renascentista, até mesmo espacial ou extra dimensional.

Dicas para o uso:

– Como aventura, explorar as ruínas pode não ser uma motivação para todos os jogadores, então utilize clichês desse gênero, como sequestros de npcs importantes, prisão dos personagens nas ruínas, tesouros para resgatar, resgates de pessoas perdidas e até mesmo, encontro acidental.

– Em cenários mágicos, pense em como seria um alien incubado em um usuário de magia, ou um predador com acesso a um grimório, ou ainda pode ser feita uma adaptação, imaginando os aliens como demônios ou insetos de uma raça mágica e os predadores como uma espécie de Ogros inteligentes, Anfíbios Evoluídos ou até mesmo extraplanares.

– Explique para os personagens antes da aventura a taxa de mortalidade em filmes com esses monstros e monte uma equipe que contenha mais pessoas que apenas os jogadores, para criar o clima de mortes constantes.

– Deixe os personagens utilizarem os recursos dessas  criaturas, como armaduras de placas alien, ou veneno / ácido alien, lança do predador e equipamentos de invisibilidade e rastreio. A adaptação dessas armas e itens pode ser feita, mas ver elas surgindo no jogo é mais divertido.

– Não se acanhe de introduzir um Predalien: Um alien incubado em um predador, que possui os movimentos de ambos. Esse monstro é muito poderoso e pode ser usado em uma aventura em que as duas ameaças se cruzem.

– Ameaça: Alien (Xenomorfo) – Futuro Sombrio: Dominação do território

Se inicia com alguns ovos aliens eclodindo e dominando os hospedeiros, criando aliens adultos normais e alguns adaptados para o cenário em questão, depois, caçando os moradores locais, se é que existe algum e por fim os personagens, criando Xenomorfos cada vez mais fortes, até o local ser completamente dominado e começar a expansão para os locais mais próximos, liberando um exército dessas criaturas.

  • Perigo: Ovo Alien – Ambição: Devorar o hospedeiro
    • Movimentos: Abraçar e Anestesiar, Hipnose química, Criar Alien especial.
  • Perigo: Alien Comum – Ambição: Defender a rainha.
    • Movimentos: Cuspir ácido, Caçar usando os números, Adaptação mortal
  • Perigo: Rainha Alien – Ambição: Dominar o Território
    • Movimentos: Invocar Aliens, Dominação telepática, Golpes grotescos, Sangue ácido, Grito paralisador

Obs.: Mais Movimentos podem ser adicionados aos aliens, assim como Aliens diferentes, mas depende mais do cenário em que essa aventura pode ser inserida.

– Ameaça: Predador (Yautja) – Futuro Sombrio: Escravização de uma raça

Inicialmente os predadores escolhem pessoas para servirem como objeto de suas caçadas, se divertindo ao rastrear, combater e matar seres variados, mas com o tempo, eles começam a usar esses seres como incubadores para criaturas piores, ou ainda, sequestram cidades inteiras para criar presas ideais ou planetas inteiros para usarem como campos de esportes.

  • Perigo: Predador comum – Ambição: Caçar
    • Movimentos: Ficar Invisível, Usar espectros de visão, Rastreador de movimento.
  • Perigo: Predador Primal – Ambição: Superar sua caça em condições de igualdade.
    • Movimentos: Ficar Invisível, Regeneração, Sentidos especiais.
  • Perigo: Predador Ancião – Ambição: Treinar novos predadores
    • Movimentos: Sequestrar pessoas, Montar armadilhas, Confundir presas, improvisar armas, invocar predadores

Obs.: Existem muito mais tipos de predadores, com diversas formas de caçar e se comportar, esses exemplos são apenas para ilustrar as possibilidades.

Resultado de imagem para predalien

Gostou? Achou interessante? Tem alguma dica ou sugestão? Entre em contato conosco e faça sua sugestão e participe desse RPGWorld!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s